VIAGEM DE MOTO: CURITIBA OFF ROAD

mundo COMPACT

Fonte: Moto Adventure

Moto Adventure se aventurou pelas trilhas off road da capital paranaense. Acompanhe o relato de uma motociclista que desbravou as terras com coragem e sagacidade de quem faz o que ama

Curitiba (PR)

Quem curte off road de big trail geralmente adora conhecer novos roteiros.Quando assisti a um vídeo de Fernando Brasil de BMW F 800 GS na “Trilha dos 7 Rios”, perto de Curitiba (PR), em um cenário lindo com off road desafiador, contatei Allan May (guia e autor do vídeo) para combinarmos esse “rolê”. “Allan, pode ser numa quarta?”. E a resposta foi: “Claro, dou um jeito de tirar folga do trabalho”. Chique, não acham? Quem assume o estilo de vida de moto aventura vai organizando a vida para se dar esse direito!

De SP a Curitiba, sem stress

Saí de Sampa pela Rodovia Castelo Branco até Sorocaba, peguei a interligação para a Rodovia Raposo Tavares e segui sentido Piedade. A sinuosa SP-79 passa pela Serra de Paranapiacaba, com a mata bem próxima – são 120 km no frescor da vegetação até chegar à BR-116, em Juquiá, e logo a estrada volta a ficar rodeada de verde até Curitiba.

allan COMPACT

 

Pneus Mitas E-09

Eu queria testar uns pneus mais “off”, então fui até a Jarva, importadora dos pneus Mitas, na João Negrão, a “Rua das Motos” de Curitiba. Escolhi o modelo E-09, especial para big trails para uso 80% off road e 20% asfalto. Lá perto fiz a troca dos pneus na Moto Rides. Encontrei Allan no Hard Rock Café, com o casal motociclista Fernando e Lilian – amizades virtuais tornando-se reais, assim como a trilha na manhã seguinte!

Só off Road, de Curitiba a Ponta Grossa

Eu de BMW G650 XCountry, Allan de Suzuki DRZ 400, ambas ano 2008 e raras por aqui. “Tratores” monocilíndricos, leves, boas para o off road e também para viajar no limite de velocidade das estradas. Do bairro Santa Felicidade já saímos por estradas de terra e logo começaram os “carreirinhos”, trilhas íngremes com erosões e lama, saindo e voltando para a estrada principal. Senti a frente arisca, baixei a calibragem e aí sim os pneus honraram sua proposta, transmitindo confiança para acelerar em cascalho denso, areiões de fazendas de eucaliptos, poças de lama e rios com pedras.

 

Allan May COMPACT

Fomos até a Lagoa Azul, uma pedreira desativada, e seguimos por fazendas em Campo Magro e Campo Largo, com paisagens de mata e araucárias em estradas gostosas de acelerar, com curvas abertas, levantando poeira – os primeiros roteiros dos trilheiros paranaenses, entre Curitiba e Ponta Grossa. Chegamos à Trilha dos 7 Rios, na Serra de São Luiz do Purunã, onde o rio é cortado sete vezes pela trilha. Na primeira travessia, na saída, a moto entalou numa cava com lama. Desvantagens do aro 19”, baixa distância do solo e peso, mas essa é a “diversão” ao fazer trilha de big trail!

Após esforços para desatolar, seguimos por single track na grama até a próxima travessia, com pedras maiores. Minhas pernas, que são curtas para apoiar, causaram tombos na água rasa e nas subidas com erosões, sempre com muitas risadas, mas o “perrengue” foi quando a bateria da minha moto arriou devido às paradas nas dificuldades e o excesso de partidas. Allan tinha um cabo de “chupeta” e a valente DR deu força para a 650! Seguimos até a Cachoeira da Mariquinha, em Ponta Grossa, totalizando 120 km de off road. No poço da cascata de 30 metros de altura, tiramos a poeira e terminamos de lavar a alma!

Voltei para Curitiba debaixo de chuva e os pneus deram boa aderência – somente a frenagem perdeu alguma eficiência. No retorno para São Paulo, passei na Cachoeira da Capelinha, no Parque Estadual do Rio Turvo, em Cajati (SP), um recanto logo antes do retão calorento da Régis, com acesso fácil por 3 km de asfalto com algum cascalho. Subi a SP-79 com mais cautela nas curvas, mas pela segurança que dá nos piores terrenos, vale à pena usar os “sapatos” de trilha!

Não se esqueça de fazer um check-up da moto na Casa Fernandes antes de sair na estrada! 

15 APAIXONANTES CIDADES DA SERRA DA MANTIQUEIRA

Fonte: Conheça Minas

A Serra da Mantiqueira é uma cadeia de montanhas que fica no Sul de Minas Gerais, se estende para SP e Rio de Janeiro. É uma das mais belas regiões do Brasil, atraindo todos os anos casais e amantes da natureza para passeios. São passeios incríveis, em lugares de tirar o fôlego, realmente inesquecíveis.
Nesse post, você irá conhecer algumas cidades da Mantiqueira e suas belezas.

1 - Aiuruoca

Aiuruoca Marlon Arantes
Sua população é de 6.209 habitantes (IBGE/2017). Localiza-se no sul de Minas Gerais na Serra da Mantiqueira, a 989 m de altitude, ao pé do Pico do Papagaio, numa região de topografia bastante acidentada.Seu nome deriva do tupi e significa "casa de papagaio", através da junção das palavras aîuru ("papagaio") e oka ("casa"). Aiuruoca integra o circuito turístico Terra Altas da Mantiqueira. O acesso à sede do município é feito pela rodovia AMG-1035 a partir do entroncamento com a BR-267.

Picos 
São vários picos com altitudes que variam de 1.300 metros a 2.357 metros de altitude.
 
Cachoeiras 
1.Aiuruoca cachoeira Marcelo Legramandi
São mais de 85 sendo que cerca de 40 são visitadas constantemente e impressionam por sua beleza.
 
Esportes de Aventura 
Rapel, canyoning, escalada, tirolesa, rapel guiado, off-road, mountain bike, mini-rafting, rafting, boia cross.
Roteiros de Passeios - são inúmeros e atendem a todos os públicos.
Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição - datada de 1726, com antigos altares de madeira. 
 
 
2 - Monte Verde
Monte Verde Lourdes araujo
As temperaturas baixam e um destino certo para muitos turistas é Monte Verde distrito de Camanducaia MG e que fica a cerca de 166 km de São Paulo (SP) e 490 km de Belo Horizonte, pela BR 381. As temperaturas baixas, chocolates e arquitetura que lembra a Suíça, fazem do pequeno distrito a "cidade dos namorados".  Local de generosa natureza, rodeados por montanhas e uma diversidade de restaurantes e locais para passeio, fazem de Monte Verde uma o local ideal para quem quer fugir da tumultuada vida na cidade grande.
 
 
3 - Itamonte MG
Itamonte MG Paulo Santos
O município de Itamonte tem 15 mil habitantes, é cortado pela Serra da Mantiqueira, onde se encontram alguns dos pontos mais altos da região, destacando-se a Pedra do Sino de Itatiaia com 2.670 metros, localizada no Parque Nacional de Itatiaia, e a Pedra do Picu com 2.151 metros, além de várias cachoeiras, dentre elas, as cachoeiras da Fragária, do Escorrega, da Conquista e da Usina dos Bragas.
 
 
4 - Marmelópolis
 
Marmelópolis Jair Antonio Oliveira
Marmelópolis integra o Circuito Turístico Caminhos do Sul de Minas e tem a totalidade de seu território pertencente à APA Serra da Mantiqueira, abrigando também uma RPPN - Reserva Particular do Patrimônio Natural - (RPPN da Terra da Pedra Montada). Anualmente, em setembro, a cidade sedia a Festa do Marmelo, a fim de promover a principal cultura da cidade. É uma das cidades mais frias de Minas. No inverno a temperatura cai abaixo de 0 graus negativos e as geadas são constantes.
 
 
5 - Alagoa
 
Alagoa Rildo Silveira
Alagoa é conhecido pelo queijo parmesão produzido pela população que vive na Zona Rural, sendo considerada a "Terra do Queijo Parmesão". O clima e topografia são determinantes no diferencial do sabor dos queijos alagoenses.
Cidade tranquila, com pouco mais de 3 mil habitantes, porém muito movimentada durante os festejos da Semana Santa, Torneio Leiteiro - ExpoAlagoa, Nhá Chica, Natal e Reveillon, épocas que os alagoenses que residem em outras cidades retornam para a cidade.
Tem grande potencial turístico, que está sendo desenvolvido e estruturado pela Secretaria Municipal de Turismo.
Como na Amazônia, tem duas estações: o tempo das águas e o tempo da seca. No mês de maio e junho o clima é idêntico ao europeu, faz muito frio nestas épocas, chegando a gear e o termômetro registrar temperaturas negativas.
 
 
6 - Maria da Fé
 
Maria da Fé Rinaldo Almeida
Maria da Fé é um município brasileiro do Estado de Minas Gerais. Sua população estimada em julho de 2016 era de 14 502 habitantes. A sede do município está a 1 258 metros de altitude.
Maria da Fé é conhecida como a cidade mais fria do Estado de Minas Gerais. No inverno as temperaturas mínimas podem descer abaixo de 0°C. 
O município está localizado em plena Serra da Mantiqueira bem próximo à estância paulista de Campos do Jordão e às mineiras do chamado Circuito das Águas. O turismo é ainda incipiente, mas existem possibilidades de turismo rural, com passeios a cavalo e comida de fogão a lenha.
Seus principais bairros e distritos são: Pinto Negreiros, Mata do Izidoro, Posses, Ilha e São João. Na cidade, a Igreja Matriz de Nossa Senhora de Lourdes possui murais de Pietro Gentilli, pintor italiano que também possui obras em Americana (Estado de São Paulo) e Mariana (Minas Gerais). A cidade também possui um Centro Cultural, onde estão disponíveis informações históricas e turísticas sobre o município e também a Casa do Artesão, um espaço criado para a exposição de trabalhos de artesanato da cidade.
 
Maria da Fé Cassia Almeida
 
Na praça Getúlio Vargas estão algumas das mais antigas oliveiras da cidade, conhecida nacionalmente[carece de fontes] como Cidade das Oliveiras, já que a fazenda experimental de Maria da Fé da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) é a única produtora de mudas de oliveira do Brasil,[carece de fontes] e que deu origem a duas variedades de oliveiras genuinamente brasileiras, resultadas de cruzamentos e anos de pesquisas da instituição: a JB e a Maria da Fé.
 
 
7 - Gonçalves
 
Gonçalves site RangoTrago
Cidade pacata, hospitaleira e com pessoas simpáticas e educadas, Gonçalves é atualmente um dos pólos turísticos em forte desenvolvimento na Serra da Mantiqueira, fazendo parte do circuito turístico Serras Verdes do Sul de Minas. Na cidade é possível praticar Mountain Bike, Trekking, Boia Cross, Cascading, Rapel, Cavalgada e Off Road. Em Gonçalves existe uma empresa de produtores rurais orgânicos, que vem crescendo muito nos últimos anos, que faz uma feira orgânica aos sábados e um caminhão leva cestas para a cidade de São Paulo.
 
 
8 - Passa Quatro
 
Passa Quatro Freitas Junior
A cidade em 2016, contava com, 16.413 habitantes, segundo o IBGE, vem se firmando, nos últimos anos, como um polo de atração para o ecoturismo e o turismo rural. Em seu território se encontram diversas atrações turísticas como montanhas, cachoeiras, fazendas, pesqueiros entre outras atividades que favorecem a realização de atividades turísticas dessa natureza.
Também existem atividades turísticas relacionadas a festejos como o 'Corpus Christi', a Festa do Gado Leiteiro, o Carnaval, Festivais de Bandas, passeios ciclísticos, ralis etc.
Na cidade, atualmente, se encontra um passeio turístico no Trem da Serra da Mantiqueira que liga a estação local ao túnel ferroviário no alto da Serra da Mantiqueira, próximo à Garganta do Embaú, que foi palco de episódios militares durante a Revolução de 32.
Na cidade também pode se encontrar produtos típicos da região como doces e bebidas que trazem um aspecto gastronômico do interior aos turistas interessados em experimentar os sabores da culinária mineira do interior.
A localização da cidade, praticamente equidistante dos dois maiores centros geradores de demanda turística do Brasil: São Paulo e Rio de Janeiro, faz da sua localização um ponto privilegiado para a construção de pousadas e estabelecimentos voltados ao turismo, o que se viu nos últimos anos. No período de inverno, o fluxo de turistas procurando pelo clima tropical de altitude, com temperaturas geralmente abaixo de 0º Celsius, notadamente nas noites, e sem chuvas pronunciadas, aumenta e cria uma opção aos locais mais tradicionais de viagens de inverno. Algumas vezes é possível se ver formação de gelo no alto de suas montanhas, geadas nas áreas mais baixas e até algumas precipitações de neve já foram registradas nas montanhas mais altas.
 
 
9 - Carvalhos
 
Carvalhos Dalton Maciel
Seu nome é uma homenagem a família Carvalho, família de origem judaico-marroquina cujo nome original era Nahom. Esta família se assentou na região, construindo uma igreja dedicada a Nossa Senhora Aparecida, em um terreno doado pela dona de uma fazenda na região. Atualmente essa família se encontra quase extinta no município. Sua população estimada em 2016 era de 4.625 habitantes. Cidade pouco explorada comercialmente, sem indústrias. O comércio não possui potencial tão grande, quando comparado a cidades maiores. Porém, na região, destaca-se pelas lojas de material de construção, supermercados e farmácias. Além desses, a cidade conta com dois estabelecimentos que vendem hortifrútis, padarias e lojas de móveis. Na cidade, a operadora de telefonia móvel é a Vivo. 
 
Carvalhos cachoeira Dalton Maciel
Possui inúmeras cachoeiras distribuídas por todo o município (em torno de 70 quedas), a mais famosa é a Cachoeira da Estiva. Tem mais de 400 km de trilhas para a prática de Off-Road. Além disso, possui um pico chamado Pico do Muquém de altitude aproximada de 1800m acima do nível do mar.
Também encontra-se no município o Pico do Calambau e dos Três Irmãos, que juntamente com o do Muquém, formam a Serra dos Três Irmãos. Há também o Pico do Quilombo (Serra do Quilombo), a Serra da Aparecida e a serra do Grão-Mogol. 
 
 
10 - Delfim Moreira
 
Delfim Moreira Geraldo Gomes
Delfim Moreira se destaca no cenário turístico pelas suas belas cachoeiras e paisagens. Além de diversas pousadas, das mais simples a mais sofisticada. Foi fundado em 17 de dezembro de 1938. Sua população segundo o censo realizado pelo IBGE em 2016 é de 8.203 habitantes. A altitude é de 1 200 metros e a área, 409,2 km²; a densidade demográfica resulta em 19,84 habitantes por quilômetro quadrado. Destaca-se pelas suas belíssimas cachoeiras que têm atraído diversos turistas de todos os estados brasileiros.O município de Maria da Fé está a norte, Virgínia a nordeste e Marmelópolis a leste. Os paulistas Cruzeiro e Piquete ficam a sudeste, Guaratinguetá a sul e Campos do Jordão a sudoeste. A oeste está Wenceslau Braz e a noroeste, Itajubá.
 
 
11 - Cristina
 
Cristina Sandra Walsh
Sua população estimada em 2016 era de 10 483 habitantes. Cristina é conhecida como cidade imperatriz. O topônimo é uma homenagem à imperatriz Teresa Cristina, esposa de Dom Pedro II. O nome foi sugerido por um filho do município, o conselheiro Joaquim Delfino Ribeiro da Luz. Por esta razão, em 1° de dezembro de 1868, a Vila Christina (que se denominava "Espírito Santo dos Cumquibus"), recebe a visita da Princesa Isabel e seu esposo, o Conde D' Eu, a convite do conselheiro, para conhecer a terra que recebera o nome de sua mãe.
Cristina é a terra natal de Delfim Moreira, 10º presidente da República. Cristina conta com um museu, o "Museu do Trem" (local onde são guardados equipamentos, utensílios da extinta ferrovia, inclusive uma locomotiva restaurada), monumentos, como o busto e crípta de "Dr. Silvestre Dias Ferraz Junior", a estátua do Leão e do Peixinho, o famoso "Chafariz", o túmulo do "Conselheiro Joaquim Delfino Ribeiro da Luz" (logo na entrada do Cemitério). Além de lindas praças, casarões antigos, inúmeras cachoeiras, rios, chácaras, fazendas históricas e montanhas.
O município integra o circuito turístico Caminhos do Sul de Minas e é servido pelas rodovias AMG-1905, MG-347 e MGC-383.
 
 
12 - Bueno Brandão
 
Bueno Brandão Leo Brito
Sua população segundo o censo realizado pelo IBGE em 2016 era de 11.228 habitantes. Sua principal atração é o turismo ecológico, principalmente por suas cachoeiras. Entre elas as consideradas mais bonitas são: do Luís, do Félix e do Machado II. Bueno Brandão está localizado na Serra da Mantiqueira, com altitudes de até 1600m (sede municipal a 1200m). Possui clima tropical de altitude, com média anual de 16,5°C, com máxima no verão de 32°C e mínimas de até -4°C nos invernos mais rigorosos.
 
 
13 - Bom Repouso
 
Bom Repouso Elton Gonçalves dos Santos
Sua população estimada em 2016 era de 10.771 habitantes. Seu relevo é montanhoso e está a uma altitude média de 1371 metros acima do nível do mar, chegando a atingir uma altitude máxima de 1680 metros em seu ponto mais alto. Seu clima é ameno e úmido durante o verão e seco e frio durante o inverno. A temperatura média anual é de 19°C. Os padroeiros da cidade são São Roque e São Sebastião.
Pelo fator climático de sua região, o mesmo favorece culturas de frutas silvestres como o morango. Hoje conta com cerca de 300 hectares de área plantada e uma produção de cerca de 16,2 toneladas da fruta no município em 2012.
 
Jussan Lima
Bom Repouso possui a segunda maior imagem de Nossa Senhora das Graças do Brasil, com 20 metros de altura. A imagem foi inteiramente construída em argamassa, equivale a um prédio de seis andares e se encontra a 1410 metros de altitude. 
 
 
 
14 - Itanhandu 
 
Itanhandu Sérgio Mourão
Itanhandu passou a ser conhecida como a "Cidade Saudável", pelo clima puro e suas belezas naturais.
Itanhandu faz parte da microrregião de São Lourenço. Seus rios principais são: Itanhandu, Verde, Posses e Vermelho, que formam belas cachoeiras e corredeiras, proporcionando aos turistas um cenário encantador. A cidade possui um grande potencial turístico, principalmente por possuir características geográficas favoráveis. Esportes radicais como o montanhismo, motocross, voo livre e jeepismo atraem os visitantes que procuram aventuras. A cultura na cidade tem seu ponto alto no Festival de Música de Itanhandu, realizado tradicionalmente em julho e contando com a participação de cantores de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. A nascente do Rio Verde, no alto da Serra da Mantiqueira, está localizada a 20 km da cidade, com matas virgens, clima puro e belas paisagens. Muitos passeios são realizados na cidade como o Rancho da Pedra, que apresenta trilhas com belas paisagens formadas pela Serra da Mantiqueira. Outros pontos de caminhada como a Barrocada, Condado e da Estiva também são muito procurados. Por todos estes motivos, Itanhandu passou a ser conhecida como a “Cidade Saudável” e por estas razões muita turistas aproveitam os momentos de descanso para desfrutarem de todas essas belezas naturais que o município tem a oferecer. Pontos Turísticos: Conheça os principais pontos turísticos da cidade de Itanhandu: O Rio Verde: é o principal ponto turístico e cartão de visita de Itanhandu. Em toda sua extensão forma excelentes corredeiras, cachoeiras e poços. Cachoeira Vô Delfim: é a mais bela. Um conjunto de pequenas quedas, sendo uma delas a principal, que proporciona horas de muito lazer e relaxamento aos turistas. Cipó: aqui o rio corre tranquilo e a diversão é propiciada por um cipó amarrado na margem. Pinicão: nesse ponto é possível contemplar as pedras arredondadas nas margens do Rio Verde. Do local, uma imponente vista da Serra da Mantiqueira pode ser apreciada. Em dias de calor, fica repleto de banhistas e a tranquilidade cede lugar à animação. Rancho da Pedra Branca: trata-se de uma trilha pela Serra da Mantiqueira. As incríveis paisagens são o convite perfeito para cavalgadas e caminhadas. Pedra da Embocadura: especificamente esta formação rochosa é considerada um dos sete chacras (pontos de entrada e saída de energia) do planeta. Caminhadas e cavalgadas: existem muitas opções de passeios pela região.  (Fonte das informações sobre Itanhandu Site Guia do Turismo Brasil - Fotografias de Sérgio Mourão)
 
 
15 - Pedralva
 
Pedralva Rinaldo Santos Almeida
Com uma população de 11.596 habitantes (IBGE 2016) Pedralva está localizada no Sul de Minas,cortada pela MG-347, Rodovia Venceslau Brás, uma das principais rodovias de acesso a região do Circuito das Águas do Sul de Minas,e bem localizada entre os principais corredores viários do país,a Rodovia Fernão Dias,52 km e Rodovia Presidente Dutra,105 km. 
Turismo
A serra do Pedrão, grande maciço rochoso, onde se pratica voo livre, trekking e alpinismo e a serra da Pedra Branca, um dos pontos culminantes da região com 1.848 metros de altitude, a Gruta do Badulaque, um sítio arqueológico, cachoeiras, rios e lagos constituem locais de atração para os visitantes.
Festividades
Entre suas principais festividades estão a festa do padroeiro São Sebastião (janeiro), Carnaval (destaque para o Bloco do Pink Floyd), aniversário do município (7 de maio) e Pedrock (mostra de bandas, em julho).
Produtos artesanais
Algumas pessoas defendem que a cidade tem a melhor cachaça do Brasil.Além disso a cidade conta com a produção artesanal de doces,o tradicional queijo mineiro e artesanatos em geral.
Cidade dos gêmeos
No dia 28 de setembro de 2007, foi exibida uma matéria no programa Globo Repórter, da Rede Globo, na qual Pedralva foi alvo de uma pesquisa que reuniu 40 pares de gêmeos na praça principal da cidade. Desde então, Pedralva ficou conhecida como Cidade dos Gêmeos e reapareceu em outros programas televisivos.
 
Antes de colocar seu carro na estrada, passe na Casa Fernandes Pnes e faça uma revisão dos itens relacionados ao pneu, suspensão e direção! 

Nota de Falecimento

É com muito pesar que informamos o falecimento do pai do nosso colega Francesco, o Sr. Pasquale Natale Pallone, na noite de domingo.

O velório será na terça-feira, 06/03/2018, a partir das 7h e o sepultamento, às 16h no Cemitério Gethsêmani Morumbi.

Endereço: Praça da Ressurreição, 1 - Vila Sonia, São Paulo - SP | Telefone(11) 3742-5322

 

PNEUS, CÂMERAS E GENTE HONESTA

marcelo vigneron
 

Há mais de 30 anos, na década de 80, passei um tempo vivendo na França. Eu estava no começo da minha carreira de fotógrafo e recomendei a uma amiga uma câmera fotográfica simples e robusta, daquelas fabricadas no antigo bloco socialista, um equipamento relativamente barato, porém sólido e com lentes muito boas. 
Entretanto aquela câmera logo apresentou um defeito elétrico no medidor de luz e eu, é claro, me ofereci para tentar conseguir o atendimento em garantia; já apavorado com o histórico de dezenas de experiências frustrantes vividas no Brasil em situações semelhantes.
Treinei e estudei algumas frases e argumentações para utilizar quando o lojista tentasse fugir à responsabilidade, coloquei minha melhor roupa e fui para a loja preocupado e com um peso do estômago.
Lá, eu mal tirei a câmera da sacola e comecei a balbuciar e descrição do problema ao balconista quando ele pediu licença, pegou a câmera defeituosa, trouxe outra novinha na caixa e pediu desculpas pelo transtorno.
Saí dali maravilhado, com o problema rapidamente resolvido e pasmo por viver uma experiência desconhecida até então.
Brasil, 32 anos mais tarde. Percebo que o pneu traseiro de uso misto que comprei para a minha moto há 3 anos está com rachaduras em volta dos gomos e começa a abrir a borracha no fundo dos sulcos também. Situação bem perigosa numa moto. Eu já havia lido em alguns fóruns na internet que alguns pneus daquele tipo (Metzeler Tourance), apresentaram este defeito. A garantia era de 5 anos e meu pneu defeituoso ainda tinha bastante borracha para rodar.
Liguei para o vendedor, o meu velho conhecido Cristiano da loja do Brooklin da tradicional Casa Fernandes de Pneus em São Paulo. Ele me pediu para passar lá e fui no dia seguinte. O problema descrito foi constatado na loja e em minutos foi colocado um pneu novo em garantia.
Saí dali com tudo zerado, problema resolvido e dor de cabeça zero. Lembrei da situação vivida há mais de 30 anos na França, país que conheço bem e que considero exemplar em vários aspectos da vida cidadã. 
Parabéns Cristiano e parabéns Casa Fernandes pelo tratamento exemplar e profissional, atitude de gente séria, honesta e adulta. Atitude que merece ser exaltada, divulgada e admirada nesta pátria desesperada chamada Brasil, nestes tempos obscuros onde a desonestidade tem se tornado padrão de comportamento social. 
Obrigado e um abraço grande,
Fevereiro de 2018
Marcelo Vigneron
 
Venha conhecer a Casa Fernandes! #VempraFernandes

TRILHAS E AVENTURAS DE MOTO POR CAMPINAS (SP)

Distritos de Campinas (SP), Joaquim Egídio e Sousas atraem turistas de todas as tribos

Fonte: Moto Adventure 

Trinity Ronzella 2013IMG 0593 696x522

Campinas (SP)

Joaquim Egídio, distrito de Campinas (SP), surgiu devido ao café que, no século XIX, começou a se expandir no interior paulista. Com o estabelecimento do ramal férreo campineiro, em 1889, o desenvolvimento se confirmou e por ali começaram a surgir  estradas, pontes férreas e fazendas de café. Tanto que, hoje, ao rodar pela região, temos a impressão de voltar no tempo.

Joaquim Egídio, e o vizinho Sousas, são destinos muito procurados, principalmente nos finais de semana, quando por lá aportam turistas de todas as tribos, muito deles praticantes de esportes off-road. Assim, proprietários de quadris, motos de trilha, jipes e mountain bikes são frequentadores assíduos. Vale lembrar que, além dos bons caminhos off-road, a região é repleta de excelentes e charmosos bares e restaurantes.

Trinity Ronzella 2013IMG 0622 560x420

COTIDIANO

Apesar de pertencer e estar a poucos quilômetros do centro de uma das maiores cidades brasileiras – Campinas – que tem cerca de 1 milhão de habitantes, o cotidiano dos moradores dos dois distritos é completamente diferente do dos grandes centros. Parece que a vida demora mais para passar. Pessoas ficam sentadas em frente a suas casas “papeando” e observando o calmo movimento (exceto nos finais de semana) das ruas de paralelepípedo com poucos automóveis e crianças brincando.

ATRATIVOS

Quem vai para Joaquim Egídio e Sousas tem diversas opções de entretenimento. Uma opção bem interessante é o Observatório do Capricórnio, primeiro observatório municipal do país, inaugurado em 1977. Mas, devido ao horário de funcionamento (domingos, das 17h00 às 21h00) muita gente vai até lá para ver a vista da região, do alto dos seus 1.030 metros.

Para quem curte o chamado turismo rural e histórico, e quer voltar aos tempos áureos do café, a dica é conhecer a Fazenda das Cabras, que foi construída em taipa de pilão (técnica de construção herdada das culturas árabes e berbéres e que se constitui de paredes feitas de barro amassado e calcado entre taipas de madeira que, após a secagem, são retiradas). Essa fazenda data de 1883 e hoje abre suas portas para visitações pelas áreas de produção do café e um museu que abriga ferramentas e fotos da época.

TRILHAS

Além das belas fazendas e restaurantes, nos finais de semana a região recebe um grande número de trilheiros que buscam os mais diferentes caminhos de terra. Vale citar que, ao pilotar por Joaquim Egídio e Sousas, deve-se observar os locais nos quais é permitido rodar com as motos e quadris.

Para saber um pouco mais sobre essas trilhas, passamos um dia inteiro percorrendo algumas trilhas e estradas da região, junto a um divertido grupo com mais de 10 trilheiros. Nesse dia foi possível pilotar em meio a eucaliptos, subir em pedras, fazer single tracks em meio à vegetação nativa, encarar longas e lisas subidas, enfrentar erosões e, sempre devido ao relevo da região, curtir belas paisagens.

Nesse dia o ponto de partida foi em frente à Zimm-Motos, loja especializada em off-road e cujo pessoal tem grande conhecimento das trilhas da região. Dali surgem opções que poderão levá-lo a trilhas como a da Bocaina, passar pela cidade de Morungaba, encarar a Trilha do Carrapato, a Trilha do Vicentão ou o Morro do Careca. Enfim, opções e diferentes níveis de dificuldade de pilotagem não faltam. E aqui fica outra dica: ande sempre atento, pois, devido aos moradoes e ao grande número de praticantes de off-road na região, o movimento nas estradas de terra exige cuidado.

MOTO

Encaramos as trilhas da região com uma AJP PR4 de 240cc Enduro, máquina que vem de fábrica com freios a disco, suspensão dianteira invertida Marzocchi ajustável, tanque com capacidade para 7 litros de combustível, painel digital, dentre outros itens. Com ela percorremos com tranquilidade e segurança e ultrapassamos todos os obstáculos  propostos nesse dia de trilha.  A satisfação com a AJP foi plena.

COMO CHEGAR

Para quem sai da capital paulista, a dica é seguir pela Rodovia Anhanguera, até o km 86, entrar no anel viário em direção à rodovia D. Pedro I, fazendo o contorno na saída do km 130. Placas indicativas mostrarão o caminho até Sousas e Joaquim Egídio.

Quem está em Campinas deve seguir pela Avenida Dr. Moraes Sales, sempre em frente, acompanhando as placas para Sousas e Joaquim Egídio.

ONDE COMER

Bar do Marcelino (19) 3298-6249.

Além de deliciosos e fartos pratos, Marcelino, proprietário desse restaurante, também é trilheiro e pode dar interesantes dicas e informações sobre passeios pela região.

Rua Heitor Penteado, 1.113, Joaquim Egídio, Campinas (SP)

www.bardomarcelino.com.br

Restaurante Vila Paraíso (19) 3298-6913.

Rua Doutor Heitor Penteado 1.716, Joaquim Egídio, Campinas (SP)

www.restauratevilaparaiso.com.br

Bar da Trilha (19) 99109-7319.

Rodovia das Cabras, Km 5,5 – Campinas (SP).

Ca´ Di Matone (19) 3258-9010 / 98067-7427

Praça São Sebastião, 53, Sousas, Campinas (SP)

www.cadimattone.com.br

SERVIÇOS

Para obter informações sobre trilhas pela região ligue (19) 3298-6179 ou acesse: www. zimm-motos.com.br/loja/

Vá até a Casa Fernandes mais próxima de você!