COMO EVITAR DANOS AO VEÍCULO EM CASO DE ENCHENTE

Fonte: Garagem360

Nos primeiros meses do ano, motoristas em diversas regiões sofrem com a possibilidade de transitar por trechos com risco de alagamento. Pensando em evitar ou amenizar os prejuízos causados ao veículo e ao condutor, o CESVI BRASIL (Centro de Experimentação e Segurança Viária) elencou algumas dicas práticas que os motoristas podem seguir.

Um dos principais danos em caso de enchente está relacionado à parte mecânica e elétrica dos veículos. “A enchente é um grande problema para o bolso do motorista, principalmente pelos problemas mecânicos. Dependendo do nível da água, ela pode atingir o motor do veículo criando o calço hidráulico, além de contaminar o óleo do motor e causar panes na transmissão”, comenta Gerson Burin, coordenador técnico do CESVI BRASIL.

Além dos problemas mecânicos, a parte elétrica pode ser prejudicada ao ter a caixa de fusíveis, módulos, relês, conectores, faróis, conjuntos ópticos e lanternas atingidos pela água suja.

blur 1845534 1920

Outro ponto importante ressaltado pelo especialista é a atitude do motorista que atravessa áreas alagadas. O aconselhável é que o condutor não arrisque. Se ele precisar passar por trechos com água, deve ir apenas aos que já são conhecidos e que estão com alagamento máximo até a altura da metade das rodas do carro, como é informado no manual do proprietário. No momento da travessia é preciso utilizar a primeira marcha engatada, sem elevar demais a aceleração para evitar a admissão de água para o interior do motor.

Dicas para evitar prejuízos no verão

  1. Como manutenção preventiva relacionada ao período de chuvas, verifique o estado atual de itens como pneus e palhetas do para-brisa.
  2. Confira também todas as luzes de iluminação do veículo, como setas, faróis e luzes de freio.
  3. Se o carro morrer em enchentes, não dê a partida novamente. A ação força o motor e pode piorar ainda mais o quadro mecânico e de pane elétrica.

O que ver no pós-enchente

  • Nos itens mecânicos, é necessário observar primeiro o óleo do motor.
  • Verifique se a água atingiu as áreas de admissão de ar, como o filtro de ar, dutos e coletor de admissão.
  • É importante identificar se o veículo teve algum dano em bielas e nos pistões no caso da admissão de água no interior do motor durante o funcionamento ou após uma partida.
  • Na caixa de transmissão, é importante verificar se não houve a contaminação do óleo. O alerta é ainda mais importante no caso de veículos com transmissão automática.

Vá até a Casa Fernandes Pneus e realize a manutenção do seu veículo!

A NOVA CATEGORIA DE FÓRMULA DO BRASIL

Fonte: F.Inter

4bffd2690088a86801316768c68624a9ddd7ae4ba70ecb76b860a759c41a89235e7e4db1e5928b8079db79f66799919649d6cc6af8e497216b52d7db6e6e103acontent highlight

Em homenagem a Interlagos, um dos circuitos mais famosos do mundo, a F. INTER chega para ocupar o espaço entre o Kart e as categorias internacionais de monopostos abrindo novas oportunidades para o automobilismo brasileiro. Segurança, tecnologia, inovação são algumas das palavras que os descrevem.

Com modelo de negócios para pilotos “Seat and Drive”, são oferecidos serviços e benefícios  que vão muito além da locação de carros, permitindo aos pilotos capacitação profissional e competitividade no campeonato com o propósito de democratizar o acesso ao automobilismo, oferecendo oportunidade de aprendizado para pilotos oriundos do Kart  que almejam seguir carreira em categorias internacionais e condições à pilotos de todas as idades e experiências a viverem do “negócio”.

“Somos um caminho para todos os que querem realizar seus sonhos de pilotar carros competitivos, aprender com os melhores profissionais, fazer sua própria história ajudando a escrever a nova era do automobilismo brasileiro.” - Marcos Galassi

Confira a agenda das provas, realizadas no Autódromo de Interlagos:

12º Round - 2° ciclo: 28 de janeiro

13° Round - 2º ciclo: 25 de fevereiro

14º Round - 2° ciclo: 8 de abril

15° Round - 2º ciclo: 20 de maio

16º Round - 2° ciclo: 17 de junho

17° Round - 2° ciclo: 15 de julho

18° Round - 2º ciclo: 5 de agosto

19° Round - 2º ciclo: 2 de setembro

20º Round - 2° ciclo: data à definir (ECPA 100 F. Inter Piracicaba) 

21º Round - 2º ciclo: data e local à definir

22º Round - 2º ciclo: 23 de dezembro

Passe na Casa Fernandes Pneus e mantenha o seu veículo em perfeitas condições!

CUIDADOS ESSENCIAIS AO DIRIGIR EM DIAS DE CHUVA

Fonte: Pneustore
Quando o verão chega, traz com ele as viagens à praia, o calor e também as chuvas típicas da estação. São aquelas chuvas quase diárias e que muitas vezes nem duram tanto, mas tem forte intensidade. Dirigir com chuva pode ser tranquilo para alguns, mas desesperador para outros.

Queremos dar algumas dicas de como dirigir sob fortes chuvas e evitar riscos durante esses trajetos, praticando a direção preventiva e tornando o trajeto mais tranquilo, seja para ir ao trabalho ou para pegar estrada e curtir o verão.

Dirigir requer total atenção, independente de estar chovendo ou não, mas quando as ruas ficam molhadas e a visão prejudicada, é necessário redobrar a atenção e a cautela. Nessa hora, estar com a visibilidade o mais perfeita possível, é imprescindível: palhetas dos limpadores em bom estado, faróis em pleno funcionamento e até mesmo a limpeza dos vidros e ventilação interna tornam os trajetos muito mais seguros.

carro chuva

Mantenha sempre as duas mãos ao volante, pois se tiver que reagir rapidamente para manter o controle do veículo, esta será uma prevenção muito importante. Em caso de aquaplanagem, sempre lembre-se de não reagir bruscamente: manter o carro em linha reta, sem frear bruscamente ou acelerar, é o que vai ajudar a manter a trajetória.

Se a via tiver duas ou mais faixas, procure sempre andar na região central da pista, pois a água tende a concentrar-se nas extremidades. Procure seguir os outros carros a uma distância segura, e não se esqueça que podem haver buracos escondidos pela água. Rodar com velocidade moderada é uma boa prática em dias de chuva.

Não espere passar por uma situação de susto para verificar os pneus. Não se esqueça que os pneus são a única parte do carro que está em contato com o chão, então se tornam completamente responsáveis por sua segurança. Manter a calibragem, alinhamento e balanceamento em dia sempre, além de aumentar a vida útil, faz com que os pneus desempenhem o seu papel corretamente. Não se esqueça de com certa frequência, verificar a altura dos sulcos dos pneus, pois rodar com pneus carecas ou até mesmo próximos do final da vida, com sulcos baixos, reduz a eficiência na chuva, podendo causar acidentes graves.

Para manter o seu veículo em perfeitas condições, passe na Casa Fernandes Pneus!

PILOTE PELAS TERRAS ALTAS DA MANTIQUEIRA

Fonte: MotoAdventure

Cachoeiras, montanhas e araucárias circundam pequenas estradas de terra que cruzam parques e lindas paisagens no sul de Minas Gerais

Terras Altas da Mantiqueira

Terras Altas da Mantiqueira é a denominação dada a um circuito turístico que reúne oito municípios do sul de Minas Gerais: Aiuruoca, Alagoa, Itamonte, Itanhandu, Passa Quatro, Pouso Alto, São Sebastião do Rio Verde e Virgínia. Coberta por vegetação de Mata Atlântica, a região tem atraído cada vez mais turistas que buscam desfrutar do “clima europeu” que o circuito oferece (temperaturas entre 5 graus negativos e 27 graus positivos), paisagens deslumbrantes, comidas típicas de regiões frias, culinária mineira, belas cachoeiras e prática de esportes radicais.

MantiqueiraEDIT

DIVERSÃO GARANTIDA

Para descobrir um pouco desse circuito, montamos um roteiro que tem início na cidade de Aiuruoca e término em Bocaina de Minas. O percurso tem aproximadamente 100 km, com 90% em terra. Para chegarmos até Aiuruoca, a partir de São Paulo, optamos pela Rodovia Presidente Dutra, e iniciamos a nossa subida para a Mantiqueira pela cidade de Cruzeiro (SP). Essa estrada, que faz a ligação da rodovia Presidente Dutra ao nosso destino inicial, já seria um roteiro maravilhoso, pois sua serra possui paisagem deslumbrante e pista sinuosa com grande parte do asfalto em excelentes condições e uma engenharia de primeiro mundo. Suas curvas estão com inclinação positiva, o que aumenta muito a segurança e o prazer de pilotagem. Vale citar que todo esse trecho acontece através de estradas asfaltadas e com boa sinalização.

PEQUENA CIDADE

Aiuruoca é uma cidade pouco conhecida, mas com atrativos que fazem a viagem valer a pena. Está localizada em região com paisagens exuberantes, muitas cachoeiras, trilhas, montanhas e bosques de araucárias. O município faz parte também do circuito turístico Montanhas Mágicas de Minas e da Estrada Real. Tem áreas preservadas no Parque Estadual do Papagaio, no famoso Vale do Matutu e também na Serra da Mantiqueira. Essa bucólica cidadezinha do sul de Minas Gerais, com pouco mais de 6.000 habitantes, vive sob a influência da pecuária leiteira, embora suas origens remontem à corrida do ouro nas Minas Gerais. Seu relevo montanhoso e acidentado é composto por inúmeras nascentes, corredeiras, cachoeiras, vales e trechos ainda preservados da Mata Atlântica. Assim surgem mais de 80 cachoeiras e ribeirões.

O Pico do Papagaio (a 2.100 metros de altitude) é o símbolo e o principal atrativo de Aiuruoca e, ao chegar ao seu topo, o visitante irá deslumbrar- se com uma indescritível vista panorâmica, pois lá de cima avista-se o Pico das Agulhas Negras, ao sul, a Chapada das Perdizes, ao norte, e inúmeras elevações e cidades próximas, como Baependi, Alagoa, Itamonte e Pouso Alto.

ROTEIRO

Iniciamos o percurso por uma estrada de terra ampla, que permite o fluxo de qualquer tipo de veículo e uma boa velocidade de deslocamento: a estrada Aiuruoca- Alagoa, que possui paisagem formada por morros e muitos pastos. Além disso, ela é acompanhada praticamente em todo o seu percurso pelo Rio Aiuruoca. O primeiro ponto com moradias é o vilarejo de Campina, que não possui nenhuma estrutura de suporte para os turistas, mas, como é característico no interior de Minas, tem uma bonita igreja em uma praça. Após a parada para fotos seguimos pela estrada até Alagoa, cidade que possui pequena infra-estrutura para turismo. Atravessamos a cidade e prosseguimos pela estrada Alagoa-Itamonte. No início desse trecho, a pista surge com calçamento em bloquetes de concreto e, na sequência, novamente terra. E conforme vai se aproximando do Parque Estadual da Serra do Papagaio os pastos são substituídos pela vegetação primária e o piso da estrada passa a ser mais rústico, com pedras e facões, exigindo maior habilidade e atenção.

Vale lembrar que o Parque Estadual da Serra do Papagaio abriga um importante remanescente de Mata Atlântica do Estado e engloba importantes conjuntos montanhosos das Serras do Garrafão e do Papagaio, apresentando cerca de 50% da área com declividade acentuada e altitudes acima de 1.800 m. As encostas mais elevadas localizam-se no sul (Morro da Mitra do Bispo, com 2.149 m) e ao sudoeste (Pico da Bandeira, com 2.357m, na Serra do Papagaio). O parque se interliga, geograficamente, com a porção norte do Parque Nacional do Itatiaia.

A VIAGEM CONTINUA

Dentro do Parque Estadual pegamos a estrada Alagoa-Campo Redondo, no sentido Monte Belo. Conforme saímos do parque os morros de pastos ressurgem e, chegando a Monte Belo (um pequeno vilarejo), seguimos pela estrada Monte Belo-Santo Antônio. Ao chegar a este bairro, novamente encontramos alguma estrutura de suporte. Prosseguindo agora pela estrada Santo Antônio-Bocaina, encontramos a estrada de terra em bom estado, que permite condução tranquila até Bocaina de Minas, nosso destino final.

BOCAINA DE MINAS

De gente simples e acolhedora, a cidade está situada em meio às matas e às montanhas verdes da Serra da Mantiqueira. É um refúgio para os amantes da natureza que apreciam o contato direto com o ar puro das montanhas, o sossego do interior e as tradições de Minas Gerais. Seu característico relevo acidentado dá origem a cachoeiras e piscinas naturais capazes de deixar deslumbrado qualquer visitante. Nas imediações da cidade encontram-se várias cachoeiras, como a de Santa Clara, Alcantilado e Rio Grande, algumas pertencentes ao Parque Nacional do Itatiaia.

Para os amantes do off-road, não faltam estradas e trilhas que levam a belos recantos no município.

Uma curiosa lenda marca a história da cidade de Bocaina de Minas. Segundo ela, dois fazendeiros, proprietários de grandes extensões de terra na região onde hoje se situa o município, por volta de 1790, decidiram iniciar um povoado. Indecisos quanto ao melhor local para implantá-lo, resolveram sair a cavalo, cada qual de sua fazenda, e erguer uma capela no local onde se encontrassem. Assim fizeram e o povoado nasceu ao pé do Pico da Bocaina, na Serra da Mantiqueira.

Nessa viagem a moto utilizada foi uma Ducati Multistrada 2015, excelente para viagens longas com extremo conforto e apta a trafegar em estradas terra. Ela vem com os pneus Pirelli Scorpion Trail, que garantem a segurança em pisos secos.

Dicas: Passe pelo menos um dia inteiro em Aiuruoca para visitar as cachoeiras, piscinas naturais e mirantes. Quando iniciar o roteiro saia com o tanque cheio, pois gasolina novamente somente no final do percurso.

Realize a revisão da sua moto na Casa Fernandes Pneus antes de cair na estrada!

1ª ETAPA DA COPA PIRELLI SBK 2018

Fonte: Super Bike

500 Milhas e CPirelli 1024x604

O primeiro evento de 2018 está agendado para os dias 02 a 04 de fevereiro no Autódromo de Interlagos-SP. No mesmo final de semana da SBK assim como em 2017, será realizada a tradicionalíssima 500 Milhas de Motovelocidade e a 1ª Etapa da Copa Pirelli SBK 2018. O final de semana funcionará também como o principal evento pré-temporada para as equipes que correm no SBK Brasil, que terá sua primeira etapa nos dias 02 a 04 de março, também no Autódromo de Interlagos.

A abertura do SBK Brasil contará pela primeira vez com a presença de um piloto que irá correr simultaneamente no Brasil e no MotoGP, Eric Granado, que sem dúvida será a grande atração do calendário, ao lado e mitos como Alex Barros, Cachorrão, Bruno Corano, entre outros. A programação para a Copa Pirelli e 500 Milha 2018 já está disponível no site do SBK, clique aqui para acessar o arquivo. A competição 500 Milhas de Motovelocidade se caracteriza por provas de longa duração, nas quais as equipes mais preparadas e os pilotos mais resistentes são colocados a prova, onde o que define o vencedor é a combinação destes dois fatores. Teremos duas categorias em disputa, as 300cc e 500cc que participarão das 100 Milhas, e as 600cc e 1.000cc que participarão das 500 Milhas de Motovelocidade.

Anualmente os pilotos de todo o país se unem para a realização deste grande evento que já integra pelo segundo ano o calendário do SuperBike Brasil. A Copa Pirelli, como em 2017, terá duas provas, que assim como as 500 Milhas contará com duas categorias que terão treinos livres na sexta, classificatórios no sábado, e alinharão para 11 voltas no domingo. A primeira categoria contará com motos de 300cc e 500cc, e a segunda com motos de 600cc e 1.000cc.

A Casa Fernandes Pneus é revendedora oficial Pirelli, confira nossos produtos e serviços!