POSSO TROCAR AS MEDIDAS DE RODAS E PNEUS DO MEU CARRO?

Fonte: Revista Auto Esporte

IMG 0726

alteração das medidas de rodas e pneus é possível. Mas a prática precisa de cuidados, pois há aspectos técnicos envolvidos na modificação. Ao dar um toque pessoal no veículo, é fundamental ler o manual de instruções do carro e procurar por medidas equivalentes.

As próprias fábricas oferecem, em alguns modelos, opções de medidas ao que vem de série. Versões mais caras, por exemplo, costumam utilizar rodas maiores e pneus mais largos do que as configurações de entrada.

Por isso, antes de fazer alterações, é preciso seguir critérios técnicos. Alterar sem conhecimento pode comprometer a segurança porque há mudança no comportamento dinâmico do veículo. O volante pode ficar mais pesado e existe o risco de aumentar a ocorrência de aquaplanagem.

Veja, a seguir, tudo que você precisa saber antes de trocar o conjunto de rodas e pneus original de fábrica do seu carro.

Critérios básicos a serem seguidos

CAPACIDADE DE CARGA

“O novo pneu a ser instalado no veículo deve ter capacidade de carga igual ou superior, pressão de inflação igual ou maior e índice de velocidade compatível”, explica Rafael Astolfi, gerente de assistência técnica da Continental. “Rodar com pneus com capacidade de carga inferior ou com pressão insuficiente podem provocar sobrecarga e superaquecimento. Em altas velocidades, podem até explodir.”

MEDIDA DO DIÂMETRO EXTERNO

É fundamental, também, manter o diâmetro externo do conjunto original, com uma tolerância de, no máximo, 3% - ou seja, ao instalar rodas de aro maior, será necessário reduzir a altura do perfil do pneu.

“Não respeitar esse critério causa distorções na medição de velocímetro e hodômetro e, nos casos mais graves, o mau funcionamento dos sistemas de ABS e controle de estabilidade”, alerta Fabio Migliano, gerente de produto e motorsports da Pirelli.

RELAÇÃO ENTRE LARGURA DE RODAS E DOS PNEUS.

É preciso, também, fazer um casamento correto entre a largura das rodas e dos pneus. Por exemplo: rodas de 6 polegadas de largura comportam pneus entre 175 mm e 205 mm. Exceder este limite provocará desgaste irregular da banda de rodagem e, em casos mais extremos, perda de aderência, aumentando a possibilidade de acidentes.

Outras implicações que você precisa saber
Existem outras questões que devem ser levadas em consideração, mesmo que todas as recomendações de segurança acima sejam seguidas à risca, pois o comportamento geral do carro pode mudar completamente.

CONFORTO

“Boa parte dos consumidores não imaginam que isso acontece”, diz Astolfi, da Continental. O conforto é o principal, uma vez que, com pneus de perfil mais baixo, há menos área para absorção de impactos. “Muita gente acaba se arrependendo da troca, pois o carro passa a transmitir mais vibração e fica desconfortável.”

Outro ponto diz respeito ao aumento da largura. Com uma área de maior contato com o solo vai exigir mais energia do motor para tirar o veículo da inércia e, consequentemente, haverá um aumento no consumo de combustível. “O carro também fica mais suscetível à aquaplanagem”, lembra Migliano, da Pirelli.

“Isso ocorre pois o mesmo peso estará apoiado em uma área maior, ou seja, haverá uma pressão menor contra o solo. Um carro que, de fábrica usa pneus de perfil mais baixo, tem a suspensão preparada para isso.”

Procure sempre um profissional para não ter problemas e evite preocupações! #VempraFernandes

A ESTRADA CUNHA-PARATY É SENSACIONAL

Fonte: Dubbi

A seguir, tudo que você precisa saber para curtir a estrada Cunha-Paraty. Para começar, a vista da estrada Cunha-Paraty. (essa vista é da Pedra da Macela, mas em pelo menos dois momentos da estrada a vista é bem parecida. Infelizmente, não consegui registrar em fotos). 

download

estrada Cunha-Paraty pode ser dividida em três trechos (lembrando que estamos falando para quem faz o sentido Cunha-Paraty). No trecho 1, no estado de São Paulo (SP-171), são cerca de 30 km e é totalmente pavimentado e sinalizado, com as melhores condições possíveis. Motoristas de carro tomem muito cuidado com ciclistas, que circulam por ali o tempo todo.

download 1

Nesse trecho, o Lavandário (fotos abaixo) e o Contemplário são dois lugares legais para parar. O nome é óbvio: ambos têm lavanda e vistas maravilhosas para contemplar. No Lavandário, em meio a serras que se perdem de vista, dá para ver uma pequena marca urbana, que é a cidade de Cunha. 

download 2

Mas a grande atração mesmo é a pedra da Macela, pico de 1.800 metros com vista para o mar na região de Paraty. Mas programe-se bem, pois gasta-se cerca de uma hora de caminhada na subida. Importante ressaltar que as três paradas não têm placas avisando com antecedência (a não ser em Cunha). Portanto, ande esperto para não passar do ponto de entrada.

download 3

O trecho 2 da estrada Cunha-Paraty, na RJ-165, é o que causava os problemas. Ele corta o Parque Nacional da Serra da Bocaina e tem quase 10 km dentro do parque. Essa porção de estrada passou por um intenso tratamento, e um dos pontos altos é calçamento de paralelepípedos (a estrada ainda está cheirando nova, uma delícia).

download 4

Fique esperto com as restrições de horário: só é possível circular das 7h às 17h. Um dos motivos do limite é a circulação de animais, principalmente no crepúsculo (alguns trechos contam com telas do lado, para que os bichos não entrem na pista).

Por último, o trecho final da estrada Cunha-Paraty, até a cidade litorânea. É o mais roots de todos, logo após sair da área do parque. O tamanho da pista diminui, e a qualidade também. É possível ver vários buracos ao longo de mais 10 km, mas nada também que chegue a ser o fim do mundo. No entanto, que seria bom uma reestruturação, seria.

download 5

No total, são 50 km feitos em pouco mais de uma hora (sem paradas). Mas o bacana mesmo é não contar os minutos. Fiz em mais de duas horas, com várias paradas.

Antes de pegar a estrada, passe na Casa Fernandes e faça uma revisão nos pneus do seu veículo. #VempraFernandes

 

 

PARA QUEM GOSTA DE SOSSEGO: 7 PRAIAS QUASE DESERTAS NO LITORAL DE SÃO PAULO

Fonte: Guia da Semana

ubatuba pixabay

Para quem gosta de curtir uma praia, nada melhor do que variar o destino e conhecer lugares novos! O Litoral de São Paulo possui opções para todos os estilos de viajantes: desde aqueles que gostam de uma badalação até àqueles que só precisam de paz e sossego! Com mais de 600 km de praias, é possível encontrar paraísos quase intocados sem sair de São Paulo - e alguns deles estão próximos a capital! 

Seja para tirar férias para explorar o litoral ou até mesmo fazer um bate e volta, o Guia da Semana selecionou algumas praias quase desertas em São Paulo para quem quer curtir o sossego! Confira na galeria abaixo: 

*Essas praias não costumam ter infraestrutura, por isso é indicado levar água e lembrar sempre de levar seu lixo embora. Assim, ajudamos a manter as praias de SP limpas. 

6 TRILHAS PARA FAZER DE CARRO E QUE LEVAM A LUGARES PARADISÍACOS PRÓXIMOS A SP

Fonte: Guia da Semana 

Aos amantes de aventura, todo convite é uma opção para descobrir lugares novos e paradisíacos. Quem gosta de viajar de carro, sabe que não tem nada melhor do que juntar a emoção das trilhas com o visual de uma belíssima paisagem – certo?

Pensando nisso, o Guia da Semana fez uma lista com 6 trilhas para fazer de carro (tem que ser 4x4) e que levam a lugares paradisíacos! São opções que passam por cachoeiras, levam a praias paradisíacas e até mesmo a montanhas bem altas! Confira: 
 
Castelhanos, Ilhabela (São Paulo)

Castelhanos Ilha Bela

Considerada uma das praias mais belas do Brasil, a Praia de Castelhanos é também a favorita para quem gosta de fazer uma trilha com aventura. Isso porque, o acesso principal é por uma estrada de 22km que corta a Ilha e que passa em meio a Mata Atlântica do Parque Estadual de Ilhabela. Por esse motivo, só é permitida a entrada de veículos 4×4, motos ou bicicletas. Com muita aventura, seguido por decidas e subidas de terra, o caminho pode ficar ainda mais emocionante ao atravessar um pequeno riacho. 

A recompensa é uma praia com cerca de 1,5 km de extensão e águas cristalinas de cor azuladas. Praticamente deserto, o local possui uma pequena vila caiçara e quase nenhuma infraestrutura – ideal para quem gosta de lugares calmos e relaxantes. Para ter uma visão mais privilegiada, é possível ir até um mirante e observar a praia do alto. 

Como chegar: a trilha de 22 km começa na Praia do Perequê. Logo nos primeiro quilômetros, há uma guarita que faz o controle dos acessos ao Parque Estadual de Ilhabela, onde a praia se localiza. Durante o trajeto, é possível ver alguns mirantes com lindas vistas, quedas d’água, plantas, grandes árvores e alguns animais.

Pedra da Macela, Cunha (São Paulo)

Pedra da Macela Cunha

Devido às altas altitudes, Cunha possui vistas privilegiadas! Uma das mais incríveis é a Pedra da Macela. A impressionante vista do alto da pedra, na divisa dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, alcança a Ilha Grande e as baías de Paraty e Angra dos Reis!

Para tirar fotos incríveis e curtir a paisagem, a dica é escolher o passeio quando o tempo estiver aberto, com sol e poucas nuvens. Assim, você terá garantia que vai observar o melhor da vista: o mar ao fundo encontrando com o céu.

Como chegar: para chegar à Pedra da Macela, utiliza-se a estrada Paraty-Cunha – para isso, é indicado um carro 4x4 já que grande parte do percurso é feito em uma estrada de terra. Ao todo são 4 km de subida de dificuldade fácil com alguns pontos onde o terreno é mais acidentado. Um estacionamento no local convida os visitantes a estacionarem seus carros e seguirem o restante da trilha, cerca de 2 km a pé. 

Serrinha do Alambari, Penedo (Rio de Janeiro)

Serrinha do Alambi Penedo

 

Cansado de viajar sempre para os mesmos lugares? Que tal começar a explorar lugares diferentes e desconhecidos? Se você gosta de destinos de serra e quer passar o fim de semana ou feriado em uma cidade gostosa e tranquila, Serrinha do Alambari é a pedida certa. 

Localizada no município de Resende, na Serra Fluminense, fica a 270 km de São Paulo e 170 km do Rio de Janeiro. Ou seja, paulistas e cariocas podem desfrutar de aventuras e bons momentos por lá, sem passar horas dentro do carro. 

Uma das atrações imperdíveis na Serrinha (e uma das mais bonitas do Brasil!) é a visita ao Poço do Céu. Uma incrível e exótica queda d'água de cor esverdeada permite um delicioso banho de águas naturais – ou apenas um momento único.

Como chegar: por estar dentro de uma propriedade particular, é necessário pagar R$ 30 para entrar e a trilha de acesso é feita com um guia turístico (já incluso no valor). Por lá, não é permitido fazer barulho e levar comidas e latinhas que possam poluir o ambiente. Tudo isso torna o local ainda mais selvagem e preservado!

Serra do Lopo, Extrema (Minas Gerais)

Serra do Lopo

Chegando em Extrema, a primeira cidade mineira que faz divisa entre o estado de São Paulo e Minas Gerais, já é possível ver o cume do Pico do Lopo com seus 1.780 metros de altura acima do nível do mar. Por lá, é possível ter uma visão panorâmica do local e suas montanhas em volta, além de ser um ótimo lugar para praticar Trekking. 

A trilha fácil é uma ótima opção para quem está começando a se aventurar de carro. Bem demarcada e com cerca de 9 km de extensão, o destino final é uma rampa de onde saem passeios de asa delta e paraglider. O restante do passeio é feito a pé, através de um trekking leve indicado para todas as idades: por lá é possível chegar até o cume da Pedra Principal.

Como chegar: ao chegar na cidade, seguir as placas que indicam "Rampa". Após passar um Portal, seguir as placas indicando Pico do Lopo, principal atração do local. Com cerca de 9 km de extensão, a trilha de dificuldade fácil pode ser feita de carro, a pé ou até mesmo de bicicleta.  

Janela do Céu, Ibitipoca (Minas Gerais)

Janela do céu ibitipoca

Para quem gosta de lugares incríveis, a dica é conhecer a Janela do Céu, em Ibitipoca. O roteiro passa por mais de oito pontos turísticos que valem a visita, como grutas, mirantes e cachoeiras bem refrescantes. O destino é um incrível local ao alto da montanha com a visão perfeita da natureza e do céu, transformando o local em uma verdadeira 'janela'. 

A trilha tem cerca de 16 km (ida e volta) e fica dentro do Parque Estadual do Ibitiboca, onde é cobrado uma taxa de visitação que varia de R$ 10 durante a semana e R$ 20 aos finais de semana. 

Como Chegar: a Trilha se inicia logo na entrada do Parque Estadual do Ibitiboca, onde é possível encontrar diversas placas indicando o caminho. São muitas opções de rotas, mas para conhecer a Janela do Céu é necessário percorrer a "Volta no Parque", com cerca de 16 km (ida e volta).

Estrada Real, Carrancas (Minas Gerais)

estrada real carrancas

Estrada Real liga os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Ela recebeu esse nome porque, no século 17, transportava ouro e diamante entre as províncias. O percurso todo tem mais de 1.600 mil km, mas a dica é optar por trajetos e cidades que mais agradam, fazendo com que o caminho seja mais curto.

Um ótimo destino é conhecer a cidade de Carrancas, em Minas Gerais, que conta com diversos pontos turísticos, entre eles Cachoeiras e Montanhas, que fazem qualquer apaixonado por natureza se encantar. Nesse percurso em especial é necessário um carro 4x4 já que grande parte do caminho passa por estradas com terra, com terreno bastante íngreme. A região possui mais de 50 poços e cachoeiras, sendo um prato cheio para quem quer se refrescar. Dentre os pontos mais conhecidos estão a Cachoeira da Fumaça e Cachoeira da Serrinha. São espetaculares! 

Como chegar: a Estrada Real possui diversas placas e indicações das atrações, sendo necessário apenas prestar bastante atenção na direção que está seguindo. Para visitar as cachoeiras, seguir as placas que indicam o Complexo da Fumaça

Antes de pegar a estrada #VempraFernandes fazer um check-up nos pneus!

MV AGUSTA APRESENTA NOVA DRAGSTER 800 RR PIRELLI

Fonte: Best Riders

Em parceria com o centro de design da Pirelli a MV Agusta criou uma edição limitada da Dragster 800 RR. Batizada de “Dragster 800 RR Pirelli”, a radical naked de três cilindros ganhou um acabamento todo diferenciado e duas opções de cores – preta e amarela e branca e azul.

41415341 1699289973515892 4878165025804567188 n41220213 342226556345723 6616110372565842750 n

Alguns detalhes, como o protetor de tanque e a carenagem, são de uma borracha formulada especialmente pelo Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Pirelli para garantir uma resistência superior a arranhões e atritos.

41220226 2356357671045734 5967078283381118942 n                    41329987 543737039416149 5582852242362082700 n

A naked tricilíndrica também vem calçada com pneus Pirelli Diablo Supercorsa SP nas medidas 120/70 ZR17 no dianteiro e 200/55 ZR17 no traseiro, que tem roda aro 17 x 6’’, com detalhes na cor da moto. A edição limitada será vendida em breve na Europa. O preço não foi divulgado.

#VempraFernandes garantir o pneu pra sua moto!